Em destaque

Biofilia – Laboratório Vivo

Biofilia significa amor pela vida. Esse é um sentimento inato do ser humano e cultivá-lo é essencial para nossa saúde física e psíquica, bem como para o bem-estar de todas as formas de vida que coexistem conosco em nossa mãe Terra.

A partir dessa perspectiva, nossa proposta é desenvolver estudos, pesquisas e ações a partir de um laboratório vivo. Esse laboratório compreende a natureza viva e suas redes de relações que permitem que a vida se mantenha e se recrie.

Através das metodologias de observação fenomenológica da natureza e das constelações sistêmicas podemos aprender cada vez mais sobre os princípios que mantem a vida e sua rede de relações.

A partir de tais aprendizados, observamos nossas ações, valores, princípios, bem como das organizações da qual somos parte: família, instituições, grupos, comunidades, etc. Deste modo, podemos aprimorá-las para que sejam instrumentos de cooperação com a vida e não instrumentos de destruição, como muitas vezes tem sido.

É por essa razão que nos dedicamos a promover encontros que ampliem nossa rede de cooperação, nos permita desenvolver um olhar sistêmico sobre a vida e nos reconecte com nossa natureza interna e externa. Isso nos fortalece e nos empodera para sermos parte de uma rede que coopera com a vida e sua diversidade criativa.

Pós-graduação em Constelação Sistêmica no método TACAI

Nós do Biofilia estamos sempre atentos a cursos que auxiliem seu crescimento profissional e pessoal e que tenham uma visão sistêmica da vida. É com alegria que recomendamos essa pós-graduação da UNATE que começa hoje online! 

 

A UNATE (Universidade Aberta do Terapeuta) em parceria com a Faculdade Elo, está com vagas abertas para o Curso de Pós-graduação em constelação sistêmica e psicossomática com suporte das terapias integrativas do método TACAI.

A Constelação Sistêmica Familiar é um novo método de terapia fenomenológica trazido ao Brasil na década de 1980. Seu sistematizador, o alemão Bert Hellinger, ele era teólogo, filósofo e psicólogo. 

Nos últimos anos, a constelação tem sido amplamente divulgada, e tem tomado uma amplitude muito grande, saindo do âmbito exclusivo da terapia familiar para inúmeras aplicações como por exemplo nas áreas médica, jurídica, pedagógica, organizacional. Esta abordagem terapêutica conta com técnicas que detectam informações, muitas vezes inconscientes, e trazem à luz fenômenos do sistema familiar e sistêmicos, que muitas vezes não são percebidos pela pessoa.

O curso tem como finalidade formar profissionais para o atendimento com as técnicas da CONSTELAÇÃO SISTÊMICA, com suporte dos conhecimentos da psicossomática, psicologia analítica (JUNG), fisiologia energética, alquimia e terapia floral do sistema floral TACAI, além de uma introdução a aplicação dos conhecimentos da Astrologia Suméria à terapia floral. 

Este curso tem duração de 18 meses (18 módulos), com um módulo por mês, na primeira semana de cada mês, com estágio supervisionado a partir de setembro de 2020. A formação tem uma carga horária de  352h teóricas + 20 horas de práticas supervisionadas e estágio obrigatório – total de 372h.

Investimento do curso:

R$ 55,00 (taxa de inscrição) para cadastrados no Biofilia fica por R$50,00;

R$ 330,00 (mensalidade da pós-graduação, pagando até o vencimento (dia 10) é R$300,00 e para cadastrados no Biofilia R$270,00).

O curso tem 18 meses! O primeiro módulo começa dia 06 de Julho e vai até o dia 08 de Julho das 19:30-21h (online). Para quem não puder acompanhar a parte presencial às 5as feiras à noite (a partir de Outubro/20, a depender da pademia) será possível compensar a carga horária enviando relatórios de participação de grupos de constelação em sua cidade, online ou assistindo os vídeos de nossos encontros presenciais. Apenas no final do curso haverá uma imersão com presença obrigatória para quem quer receber o certificado.

Obs.: Os três primeiros módulos, equivalente ao mês de Julho, Agosto e Setembro, serão com aulas ONLINE, das 19h30 às 21h.

Seguem alguns links com mais informações sobre a pós-graduação.

Projeto pedagógico: https://unat-aban.blogspot.com/p/cursos.html

Curso de Constelação Sistêmica: 

https://unat-aban.blogspot.com/2020/03/formacao-e-pos-graduacao-em-constelacao.html

Pague sua taxa de matrícula já com o desconto do Biofilia, clicando aqui! Se você ainda não está cadastrado em nosso site, clique aqui e cadastre-se!

Observação de plantas: um treinamento do olhar

É com muita alegria que o Biofilia lhe convida a fazer esse curso ministrado por Rita Mendonça e com certificação do Schumacher Brasil. Se você está cadastrado em nosso site é só solicitar seu código de 10% de desconto enviando mensagem de w’app para (81)9.9658-2562. Se ainda não é cadastrado, clique aqui e cadastre-se!

Para atuar num mundo cada vez mais complexo, um aprofundamento de nossas percepções e do nosso olhar pode ser de grande contribuição. Propomos com esse curso um treinamento do olhar, para que se possa ir além da observação generalizada sobre os seres que nos cercam e entrar em contato com o processo vivo que (n)os formam.

Durante os cinco encontros online, a professora Rita Mendonça irá trazer uma introdução e um exercício prático de observação criado com base em experiências em diversas práticas que integram o campo das Ciências Holísticas. Todo o aprendizado será baseado na experiência de observação de uma planta.
“A planta me revela a minha essência. Meu interesse pelos caminhos novos, pelo novo ramo, pelo que está escondido, brotando. Entrar nessa miudeza, aprofundar no território desconhecido, e acolhê-lo”. (Relato de Lisandra Heldwein, participante da 1a edição do curso)

Quando: de 13 a 17 de julho de 2020
Horário: 8h30 às 10h00 (online)
Valor: R$200 (insira nosso código promocional no campo “Outro” em “Como você ficou sabendo do curso?” e pague apenas 180 reais).
Inscrições: https://bit.ly/2D4ODnK (até 9 de julho/20)

Sobre a professora Rita Mendonça: Educadora naturalista, dedica-se à facilitação da aprendizagem com a natureza. É co-fundadora do Instituto Romã, coordenadora no Brasil da Sharing Nature Worldwide e professora da Escola Schumacher Brasil. É escritora tendo publicado diversos artigos e livros sobre filosofias e práticas da natureza.

Brincadeiras na quarentena

Por Cecília Costa*

Cada encontro com uma criança pode ser um presente, mas também inspira muita responsabilidade. Isso porque, além das crianças dependerem dos adultos, elas estão sedentas por aprender, assim todos que estão por perto tornam-se fonte de imitação. Mesmo que você não tenha a intenção de ensinar nada a uma criança, ela está pronta para aprender com você: suas ações e palavras, mas também seus sentimentos e até expressões faciais. Por isso é tão importante que cada adulto busque aprimorar-se para tornar-se um modelo digno de ser imitado pelos pequenos.

Nesses dias de quarentena o tempo com as crianças aumentou bastante. Por isso, é muito importante encontrar formas saudáveis e divertidas de estar com elas. Evite deixá-las na frente das telas e aproveite a oportunidade de estarem juntos para criar bons e novos hábitos.

Para lhe ajudar neste desafio, desde o dia 12 de abril nós estamos enviando brincadeiras diárias para fazer na quarentena. Além de divertir e unir toda a família, são brincadeiras que sempre nos ajudam a aprimorar uma nova habilidade. E tudo isso gratuitamente! Para receber basta se cadastrar em biofilia.com.br.

*Cecília Costa é professora da UFPE, doutora em ecologia, bióloga, pedagoga Waldorf e coordenadora do Biofilia.

Qualidade de vida dos professores

Um dos maiores desafios para alavancar o desenvolvimento de uma nação é garantir aos cidadãos o acesso a uma educação de qualidade e comprometida com a sustentabilidade e com valores éticos.

Vários são os desafios para se atingir essa meta, mas um dos mais relevantes é garantir a qualidade de vida dos professores. Sabemos que parte dessa solução passa por decisões políticas importantes, como aumento salarial e melhores condições de trabalho. Essas soluções parecem muito distantes do que cada um de nós como cidadão pode fazer no curto prazo.

No entanto, há ações que podem tornar-se mais acessíveis, ainda que não sejam fáceis. É o compromisso que cada professor e professora pode assumir com o seu processo de autoeducação e de autocuidado. É pensando nisso que estamos desenvolvendo uma pesquisa que terá como produto final um aplicativo que auxilie na qualidade de vida dos professores da educação básica. Para isso, elaboramos um questionário para entender mais sobre essa realidade. Se você é professor, sinta-se convidado a respondê-lo (reserve entre 20 a 25 minutos). Com sua participação, você contribui para a construção desse aplicativo gratuito que poderá beneficiar você e milhares de outros professores. PARA PARTICIPAR DESSA PESQUISA, CLIQUE AQUI. Para chegarmos a mais professores, por favor compartilhe com seus contatos. Essa pesquisa faz parte do mestrado profissional (Proficiamb/UFPE) de Lívia Moraes e é orientado pela Dra. Cecília Costa. Para saber mais, escreva para livia.moraes@ufpe.br

Reconecte-se

Consigo próprio e com a natureza curativa ao seu redor

Foto por Lukas Rodriguez em Pexels.com

A vida moderna tem nos distanciado de nosso mundo interno e de parte importante de nosso mundo externo. Nosso mundo externo compreende tudo o que é criado pelo ser humano e tudo que é criado pela natureza. Nosso mundo interno compreende nossa fisiologia, da qual em geral não temos consciência, e nosso pensar. O pensar é a parte da qual podemos ter consciência e é através dele que organizamos nossas experiências em conceitos, reformulamos nossas crenças a partir de novas vivências e relacionamos tudo isso de modo a comporem um todo coerente.

Assim nosso mundo interno e externo estão em constante diálogo, pois um alimenta o outro. Através de nossos sentidos (visão, audição, olfato, tato, paladar) trazemos o mundo externo para dentro de nós. Através de nosso pensar, organizamos todas as nossas experiência e damos significado a elas, de modo que cada vez que olhamos para fora estamos projetando os significados que formulamos dentro.

A questão é que nesse percurso que nos conduziu até os tempos atuais estamos nos afastando da natureza e perdendo toda a riqueza que ela pode oferecer ao nosso mundo interno. O tempo na natureza foi substituído principalmente pela tecnologia e tudo o que ela pode nos oferecer: entretenimento, informação, fonte de renda, etc. Assim, levamos ao nosso mundo interno uma quantidade excessiva de informação que chega quase que exclusivamente por sons e imagens. Perdemos a oportunidade de ter vivências junto à natureza, onde todo o nosso corpo e nossos sentidos são incitados a participar.

Assim, nosso mundo externo se torna pobre em experiências, mas sofre uma overdose de informação. Esse excesso chega a nosso pensar, porém não pode ser organizado como experiência, pois é apenas informação. Informação que invade o nosso pensar e nos impede de ter os próprios pensamentos, pois estamos sempre digerindo o pensamento de outros. Isso gera vários transtornos psíquicos que, com o passar do tempo, manifestam-se em sintomas físicos, podendo tornar-se doenças.

Nós temos alguns exercícios mentais para lhe ajudar a organizar seu mundo interno. Para tal, o primeiro passo é manter-se no presente. Isso vai permitir livrar-se do excesso de pensamentos e a partir disso ter foco e mais autonomia sobre sua própria mente. Com o passar do tempo ela vai sendo capaz de, cada vez mais e por mais tempo, concentrar-se naquilo que de fato importa pra você. Além disso, à medida que você a alimenta com mais vivências na natureza torna-se também uma pessoa mais criativa, de modo que passa a formular os seus próprios pensamentos. Para receber nossos áudios de meditação gratuitamente faça o seu cadastro.